Proteínas – A segunda maior necessidade do Corpo

Fazem parte dos alimentos construtores, participando da constituição de quaisquer células, como as nervosas, as sanguíneas (hemácias), as musculares, as cardíacas e as hepáticas, entre outras. São o segundo maior componente do corpo humano (o primeiro é a água). As proteínas são formadas por compostos orgânicos chamados aminoácidos. Para o bom funcionamento do organismo, são necessários 20 tipos de aminoácido – 11 deles são considerados não essenciais e 9, essenciais ou indispensáveis. Os aminoácidos não essenciais podem ser sintetizados a partir dos essenciais. Os aminoácidos essenciais devem ser fornecidos pela alimentação, pois o organismo não consegue sintetizá-los. Se não forem ingeridos em quantidade suficiente, pode ocorrer desnutrição ou outros problemas, como infecções, comprometimento do funcionamento dos tecidos e órgãos e, em casos extremos, até a morte.

Conheça as características das Proteínas

Como agem

emagrecer
  • As proteínas são essenciais na produção de hormônios e de novos tecidos. São responsáveis por garantir força e vitalidade ao corpo, bem como pela constituição e saúde de ossos, unhas e cabelos.
  • Atuam na produção de anticorpos e de enzimas, participando de vários processos metabólicos e de outras funções, como a coagulação sanguínea. Todas as enzimas que agem no organismo são proteínas. Elas são responsáveis pelo transporte, no sangue, de várias substâncias, como ferro, cálcio, colesterol e vitaminas.
  • Um grama de proteína fornece 4 calorias (mesmo índice dos carboidratos). Conforme mostra a pirâmide alimentar, o organismo precisa de menos porções de proteínas do que de carboidratos. Nos casos de dieta inadequada, com consumo de carboidratos abaixo do recomendável, as proteínas podem ser utilizadas como fonte de energia, suprindo as carências do organismo. Porém, a ingestão de proteína muito além do necessário aumenta a concentração, na urina, de substâncias como ureia, ácido úrico e creatinina, que podem ser tóxicos para os rins.
  • O consumo exagerado pode ainda causar sobrecarga de trabalho dos rins e do fígado e aumento da excreção (eliminação) de cálcio e de outros minerais. Isso ocorre porque o excesso de proteínas na alimentação se transforma em gordura, que é depositada nos tecidos, podendo provocar o desenvolvimento de aterosclerose e doenças do coração, além de obesidade.
  • já a sua falta pode ocasionar problemas de crescimento e desenvolvimento dos tecidos, afetando o sistema imunológico e, em especial, os cabelos, as unhas, a pele e os músculos, tornando-os flácidos.

Principais fontes
Como o organismo não mantém reservas de proteínas, elas devem ser consumidas todos os dias, devendo corresponder a cerca de 10 a 15% das calorias fornecidas pelas refeições.

  • As proteínas podem ser de origem animal, como aves, peixes, ovos, carnes, leite e seus derivados (iogurte, queijo, manteiga, requeijão), ou vegetal, como feijão, ervilha, grão-de-bico, lentilha e soja.

Glúten
É um conjunto de proteínas presentes no trigo, na aveia, na cevada e nos derivados desses cereais. Muitas pessoas têm intolerância ao glúten (doença celíaca),tendo de eliminar totalmente esse nutriente de sua alimentação. Existe até uma legislação específica que obriga os fabricantes a identificar a presença ou não de glúten nos rótulos de produtos alimentícios industrializados (pães e doces, por exemplo). Por isso a importância de ficar atento ao rótulo dos alimentos.

Deixe o seu comentário!